Dia das mães – Sugestão de Teatro e missa com crianças

0
7579
Dia das mães - Sugestão de Teatro e missa com crianças

“Mãe obrigada por ontem, pelas noites de sono, pelas lágrimas derramadas, pelas lutas do dia-a-dia, pelos passos firmes, pelo amor incansável.”

– Missa com criança da semana: Dia das mães

Acolhida – Ave Maria, mãe de todos nós.
Ave mães Marias que estão hoje  entre nós.
Sejam todas muito bem-vindas a esta celebração dedicada exclusivamente a todas as mães.
Boa noite a todos nós, filhos, que tanto amamos e reconhecemos em nossas mães o espelho de bondade e de amor que elas nos transmitem.

Hoje iremos de novo iniciar nossa celebração com uma coroação especial. Nossas pequenas crianças receberão das mãos de suas mães as coroas. E, junto a  elas, desejam oferecer a nossa mãe maior, Nossa Senhora este presente tão especial. Que ao receber a coroa das mãos de suas mães, as filhas possam também delas receber todo afeto, toda alegria e todo amor dessa missão tão extraordinária.

Mães e filhas, junto a Maria, celebram hoje a sua festa.
Vamos recebê-las com alegria cantando.

(Entram as crianças à frente. Depois às mães entram e entregam as suas filhas às coroas – uma mãe lê uma mensagem em nome de todas as outras a Nossa Senhora – todas cantam a música da coroação e coroando assim nossa senhora. Rezar uma ave Maria para todas as mães presentes, pelas ausentes e também pelas que agora se preparam para ser mãe).

– Nossa Senhora de Fátima

Nossa senhora de todos nós…
Nossa senhora que apareceu em todos os lugares
Nossa senhora que aparece a cada um de nós

Ave mãe, Maria.
Ave mãe, presença divina.
Ave mãe, cheia de Graça.
Guarda-nos no teu manto
Protege-nos com teu carinho
Ilumine-nos com tua luz

-Seja guia
Seja forte

Seja sempre a mãe

Que queremos para todos nós
Santa mãe de Deus

Santa mãe dos pequeninos
Mãe de Fátima, dos pastorzinhos.
Santa mãe das crianças Formiguenses
Recebam de nós, mães também, a coroa.

Um só povo…
Uma só devoção….
Consagramos nosso coração a vós
Tornando-nos sempre mais irmãos.
Unidos no terço
Unidos na fé,
Compartilhando a graça
De termos juntos
Uma Mulher de fé
Uma nossa senhora de Deus.
Amém.

Ato penitencial – Queridas crianças, agora é um momento de reflexão, momento de pedirmos perdão pelos muitos erros que cometemos.

E, em especial, vamos refletir sobre nossos atos errados diante daqueles que amamos ou que deveríamos amar mais intensamente, lembrando que hoje no evangelho Jesus nos dia que “Todo aquele que me ama e guarda meus ensinamentos, também será amado pelo Pai”.

Vamos pensar em quantas vezes aborrecemos nossas mães pedindo a elas aquilo que elas não têm condições nos dar.

Quantas vezes nos lembramos dela o ano todo para respondê-la mal, para agredi-la com palavras duras e cruéis, pra desobedecê-la e feri-la com nossos atos também?

Quantas vezes somos duros com nossas mães, quando elas não sabem nos ajudar numa lição mais difícil, ou porque ela não tem a cultura que desejávamos que ela tivesse e nem é tão nova quanto queríamos?

Quantas vezes temos vergonha de nossas mães, não entendemos que  cada ruguinha impressa em seu rosto  ,tem  nome , em troca de um amor a nós oferecido?

Quantas vezes é mais fácil culpar nossas mães pelo nosso fracasso e acusá-la de omissão em sua missão  que admitir nossos próprios erros?

E nós, mães? Quantos erros também..Será  estamos criando filhos com limites , com educação ou estamos terceirizando a educação para a escola , para os avós ou para o mundo ? Que  tipo de filhos estamos criando para essa geração? Tiranos ou exemplos de bons filhos?

Estamos realmente assumindo nosso papel de mãe, ou temos somente consciência de que nossa missão é colocá-los no mundo e Deus é quem cuide?

E os pais? Que papel estão exercendo junto das mães na criação dos filhos? Só pensam que trazendo o arroz e o feijão estão criando seus filhos, ou realmente estão juntos da mãe na educação, na imposição de regras e também dando o carinho e a dedicação necessária a todos os eles? Como diz o logotipo “ Não  basta ser pai , tem que participar “

É,  Senhor, temos muito o que refletir sobre nossa missão de mãe , nosso papel de filhos e as condições que estamos colocando os pais . Por isso peçamos perdão, porque somos bem intencionados a mudar, sabemos de nossos erros e pedimos que nos perdoe . Vamos cantar?

Leitura – Assim como a mamãe gosta de contar história pra gente à noite… eu convidei uma mãe também tão especial aqui da nossa celebração pra contar para todos nós  o que Deus quer através de sua leitura hoje , então ela  irá ler a historinha de hoje ao qual Deus nos confia  uma missão especial .
Vamos ouvi-la com atenção e bem caladinhos?

Aclamação – Queridas crianças, é momento de ouvirmos Jesus nos falar, mas antes vamos todos ficar de  pé e cantar com alegria saudando suas palavras.

Prece da comunidade

Hoje em especial vamos pedir a Deus, por todas as mães:

R: Senhor, olhai com carinho por nossas mães !

Pelas mães esquecidas , pelas mães sofridas , pelas mães  doentes , pelas mães órfãs .

Pelas mães que não tem mais seus filhos… vítimas da violência, vítimas da morte.
Vamos rezar por todas as mães que se foram, mas que jamais serão esquecidas, estão adormecidas em Deus .

Vamos rezar pela mãe caridosa , pela mãe que espera ansiosa pela vinda do filho que nunca aparece , pela mãe solteira .

Rezar pelas mães separadas, pelas abandonadas , pelas mães  tristes e desconsoladas .

Mães, que tem seus filhos presos, mães que não sorriem mais pela tristeza de viverem sós, abandonadas nos asilos, nas casas de saúde .

Mães também que não entenderam seu papel na vida dos filhos

Rezar pela nossa mãe
Ah , meu Deus !!! Como amamos nossas mães  !!!

Rezar pelos filhos dessas mães,  para que eles conheçam seu grande amor e jamais desviem do caminho.

Pedir ,  Senhor , enfim ,  por todas as mães  , jovens , velhas , mães avós , mães  dos padres e mães nossas de cada dia , pedimos por elas , para que o Senhor derrame sobre cada uma  a sua graça e, possa consolar seus corações, com o grande amor que só o  Senhor tem por cada uma delas , rezemos

Ofertório:

Hoje, querido Pai do céu… estamos diante do teu altar para oferecer a vida que é gerada em nossas mães.
Vida plena…Entrega total… (mãe grávida)
Vida que cresce aos poucos e é amada em grande proporção; (mãe e pai).
Vida gerada em 9 meses, mas que permanece para o infinito (mãe).
Vida em família, grande presente pra Deus,
Vida em partes pequenas e exemplos grandiosos (família e a mãe grávida)
Vida que hoje está ausente, mas que a partir dela tantos se fazem presentes (mãe lembrança).
Vida preparada, vida amada antes mesmo de chegar ao mundo, vida sonhada que na barriga já ouvia as canções de ninar,
Vida, presente de Deus em nós.
Por isso ofertamos junto ao pão e ao vinho,  a nossa vida   e a de nossas mães em especial . Peçamos ao Pai que nesta oferta Ele possa derramar ainda mais bênçãos sobre todas elas para que assim , lindas , fortalecidas e mais amadas possam continuar executando tão bem sua missão aqui entre nós .

Comunhão – Quer alegria maior  que estar junto a quem amamos? Nós amamos nosso Deus , amamos nossas mães e podermos fazer essa experiência do amor com pessoas tão especiais .. vamos então ao encontro do Senhor cantando com alegria .

Ação de graças – Mãe obrigada pelo teu ventre; O grande ninho de amor que me abrigou durante nove meses e gerou em mim a vida e me faz ser vida neste seu ventre.

Mãe obrigada por ontem, pelas noites de sono, pelas lágrimas derramadas, pelas lutas do dia-a-dia, pelos passos firmes, pelo amor incansável.

Mãe obrigada por hoje.

Pelo calor do teu amor que sempre me aquece nas horas mais cinzentas e frias.

Obrigada pelas tuas mãos singelas que aliviam a minha dor;

Obrigada pelo teu sorriso terno que me acalma nos momentos mais tristes;

Obrigada pelo teu olhar profundo que sempre me leva a Deus;

Obrigada pela tua presença amiga que me sustenta e me faz acreditar no amor

Obrigada pelo teu abraço que acolhe todo meu ser;

Obrigada mais ainda pelo teu coração que me acolherá por toda vida. para que continue sendo sempre …minha

Mãe ontem, Mãe hoje, Mãe sempre!

Mãe que tem um pouco de Maria e muito de Deus

Obrigada, mãe Maria, por nos fazer amá-la tanto.

Nossa homenagem a todas vocês, mães, e a nossa mãe espelho,é uma eterna canção , hoje será através de uma canção do Padre Joãozinho . Vamos ouvi-la

( Mãe , você foi 9 meses de espera …)

Mãe, voce foi nove meses de espera
já me amou sem saber como eu era
preparou o enxoval para mim.

Mãe, nem sentias o meu carinho,
mas eu bem lá dentro sozinho
já te amava e cantava assim

Vou nascer e vou cantar e vou viver,
vou sorrir e sorrindo vou te agradecer
vou dizer que tu és a minha flor,
e cantar com carinho,alegria e amor.

Mãe voce foi tanto tempo meus braços,
minhas pernas eu fui teu cansaço,
o teu colo era um berço pra mim

Mãe, escutavas apenas um choro.
Era o meu coração como coro
que te amava e cantava assim.

Vou crescer vou cantar e vou viver,
vou sorrir e sorrindo vou te agradecer
vou dizer que tu és a minha flor,
e cantar com carinho,alegria e amor.

Mãe, voce foi tanto tempo amiga,
me escutou e sorriu na fadiga,
quando a vida chorou para mim.

Mãe, eu cresci mas ainda sou filho,
“Te amo” e repito o estribilho
que a vida ensinou e é assim

Vou vencer vou cantar e vou viver,
vou sorrir e sorrindo vou te agradecer
vou dizer que tu és a minha flor,
e cantar com carinho,alegria e amor

 

Historinha para o teatro da semana:

A mudança

Técnica: Fantoches
Personagens: 1 – Mãe, 2 – Pai, 3 – João, 4 – Padre

Hoje vamos contar a história de uma família que não é a sua, mas é a do seu vizinho!

Triiiiiiiiimmmmmmmmm…. (A mãe levanta a cabeça nervosa)

Mãe: – Que chatice! Está na hora de levantar e chamar aquele pivete… Fazer café… Lavar… Passar… Cozinhar… Ô vida! Todo dia é a mesma coisa! É, como o povo fala: “mulher esquenta a barriga no fogão e esfria no tanque”! Levanta logo, Joãozinho!

Joãozinho: – Mas que droga! Cheguei de madrugada e já tenho que acordar? Credo! Eu detesto escola!

Mãe: – Vai logo, menino! (Olha o marido e fala) Esse homem está a roncar! Só sabe fazer isso!

Joãozinho: – Mãe, mas pão com café de novo? Eco, não agüento mais isso!

Mãe: – Você está pegando o boi! Vai lá para você ver seu pai roncando feito um porco! Não quer ir trabalhar mais… Ao menos se ele fizesse uns extras, uns bicos… Ah! Tem dó, onde é que eu fui amarrar minha égua! Eu estava esperando um príncipe encantado montado em seu cavalo… Escolhi tanto que casei com o cavalo, em vez do príncipe.

Joãozinho: – Calma, mãe!

Mãe: (Nervosa ela grita alto) – Eu estou cansada! Estou estressada, esgotada, destruída, um caco, um zumbi, não estou agüentando mais… (Chora)

Pai: – Não é possível! Já começou cedo essa ladainha! Ô encrenca, de que é que você está reclamando? Não agüento mais essa mulher!

Joãozinho: – Ó Deus! Ó vida! Melhor ir para a escola infernizar a vida da professora!

Mãe: – Ou…. Ou, Zé! Você viu, não é?! A geladeira está vaziinha! Não tem carne… Nem banana os meninos vêem! As contas de água e de luz estão vencendo! E você aí… Numa boa… A escravinha aqui…
A doméstica… Dá aula de manhã… Aula de tarde… De noite, e ainda tenho que lavar, passar… Ó Deus! Dinheiro que é bom, você não dá!

Pai: – Mas que inferno! Só pensa em gastar! O dinheiro dela é só dela, o meu é nosso!

Mãe: – Ah, dinheiro seu, heim? Toma aqui seu palerma! (Simular uma briga de tapas)

Pai: – Ah! Você era pobre… Não sabia nem o que era dinheiro! Eu te tirei lá da vida de pobreza… Agora que subiu no toquinho quer fazer discurso. (Os dois brigam de soco, panelada e tudo)

Enquanto isso, lá na escola, Joãozinho teve a graça de encontrar uma pessoa muito especial…

Joãozinho: – Ah! Padre! Aproveitando sua visita à minha escola, eu vim me consultar! A situação lá em casa está preta! O meu pai e minha mãe não se entendem mais. Brigam o tempo todo! É confusão, gritaria, falta de respeito… Eu vivo triste, desolado, e com esse problema todo, para chamar a atenção deles, eu fico desobediente, fumo, bebo, chego tarde, faço de tudo e eles nem me percebem!

Padre: – Ah, meu filho! Esse é o problema de milhares de famílias, por isso mesmo é que eu vim aqui. Vim trazer para vocês aqui na escola a mensagem de Jesus. Ele quer que a paz reine entre as famílias. Ele quer estar presente no meio das famílias! E você tem uma missão muito importante na sua!
Joãozinho: – Mas como?

Padre: – Tome aqui este presente… Esse é o remédio para a doença que está atingindo nossas famílias. A doença do “amor desmanchado!” Vocês precisam tomá-lo todo dia para poder se curar!

Joãozinho: – Senhor Padre, que bom!

Em casa…

Joãozinho: – Mamãe, papai! Trouxe o remédio para a doença que a nossa família pegou, a doença do amor desmanchado!

Mãe: – E quem é que está desmanchando aqui menino!

Joãozinho: – Mãe é a palavra de Deus! Ela traz Deus mesmo, para viver com a gente! Vem papai… Vem ler com a gente…

Pai: – Menino, você tem cada uma… Que programa de índio! Ficar lendo Bíblia, e ainda perto desta analfabeta da sua mãe! Sou chique, ganho bem, viu?

Mãe: – Analfabeta, eu não sou não! Sou professora, sou chique!

Joãozinho: – Anda pai! Para valer, todo mundo tem que ler junto!

E dias e dias se passaram… E eles perseveraram nas leituras e como havia sido dito, a realidade daquela família foi se transformando… A palavra de Deus foi curando o mal que os atacava.

Vamos ver como estão agora?
Trriiiiiiiimmmmmmmm…. (Despertador – o fantoche deitado levanta a cabeça e desperta)

Mãe: Hum! (bocejo) “I love you”…lá…lá…” (cantarolando) Bom dia! Outro dia! Joãozinho, vamos acordar, o café está pronto.

Pai: – Como você está linda querida!

Mãe: – São seus olhos, querido!

Joãozinho: – Oh, mamãe, café com pão! Que bom!

Mãe: – E muito amor!

Joãozinho: – Mamãe, tudo que você faz é tão bom!

Pai: – Oh, Querida! Agora que fiz uns extras no serviço, vou à feira antes de ir ao trabalho… Quando eu voltar vou te ajudar no serviço de casa.

Mãe: – Não, não saia ainda… Vamos fazer a oração da manhã. É preciso agradecer, porque Jesus curou nossa família: “Senhor, obrigado por ter vindo morar conosco, mas te pedimos: Vem morar também em todas as famílias que estão aqui! E que elas possam encontrar em você, Jesus, o remédio para curar esse mal que está destruindo nossos lares. Em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo, Amém!

Compromisso da semana: Vamos rezar pelas nossas mães, pelos amiguinhos que perderam sua mãe. Ainda nos esforçamos a cada dia em sermos obedientes e ajudar nossas queridas mamães.

Fonte de pesquisa (preces e leituras) – www.homilia.com.br