Preparar as crianças para a missa e a celebração com as crianças

0
23426

Levar crianças a missa parece um desafio dos pais, pois o mais comum é que se exija dos pequenos um bom comportamento e que entendam que aquele momento é importante e de respeito.

Mas nem tudo é tão fácil, as crianças estão aprendendo, com os poucos anos de vida que têm, até participarem da catequese e até um pouco maiores estão em uma fase de aprendizado constante.

Para os pais o desafio de preparar as crianças e inseri-las nesse momento e para os padres e equipe de liturgia o desafio de preparar uma celebração com as crianças.

A partir do Diretório para Missa Com Crianças, documento da Igreja preparado pela Sagrada Congregação para o Culto Divino, aprovado e confirmado no dia 22 de outubro de 1973 pelo Sumo Pontífice Paulo VI que ordenou sua publicação podemos ter orientações de como acolher as crianças na missa.

Para a missa com crianças o diretório indica:

1 – Dedicar um momento da celebração especialmente às crianças

Nas missas dos domingos e festas é comum a família toda participar, ou seja, muitos adultos e com bastante crianças. Em celebrações deste gênero, deve-se precaver cuidadosamente para que as crianças não se sintam esquecidas em virtude da incapacidade de participar e entender aquilo que se realiza e proclama na celebração. Leve-se, pois, em consideração a sua presença, por exemplo, dirigindo-se a elas com certas munições apropriadas no começo e no final da missa, em alguma parte da homilia etc.

2 – Incluir as crianças nos ofícios da celebração

Se as missas são celebradas com mais crianças e adolescente e menos adultos é importante tornar mais viva e profunda esta participação. Para este fim, confiem-se ao maior número de crianças, ofícios especiais na celebração, tais como: preparar o lugar e o altar (cf. nº. 29), assumir o ofício de cantor (cf. nº. 24), cantar no coral, tocar algum instrumento musical (cf.nº. 32), proclamar as leituras (cf. nº. 24 e 47), responder durante a homilia (cf. n.º 48), recitar as intenções da prece dos fiéis, levar as oferendas para o altar, e outras ações semelhantes segundo os costumes dos diversos povos (cf. nº. 34).

3 – Oferecer leituras de qualidade

Como as leituras da Sagrada Escritura constituem “a parte principal da liturgia da Palavra”, nunca pode faltar a leitura da Bíblia mesmo nas missas para crianças. Entre os critérios de seleção dos textos bíblicos, há que se pensar mais na qualidade que na quantidade. Uma leitura breve nem sempre é por si mesma a mais adequada à capacidade das crianças do que uma leitura mais prolongada. Tudo depende da utilidade espiritual que a leitura lhes pode proporcionar

Preparação das Crianças

1 – Introduzir momentos de oração em casa

Quando há momentos de oração em casa é mais fácil de a criança entender a importância de participar da missa. “Sua casa é uma igreja doméstica. Você tem tempo para rezar com seus filhos nas refeições, na hora de dormir, antes das provas, indo à escola entre outros momentos? Se fizer isso, ficará mais fácil para eles entenderem que ir à igreja também faz parte desses momentos”, afirma Ângela Abdo é coordenadora do grupo de mães que oram pelos filhos da Paróquia São Camilo de Léllis (ES).

2 – Explicar de forma simples as partes da missa

Ao participar da celebração com os filhos fica difícil para os pais participarem completamente sem distrair com alguma atitude do filho ou ter que chamar a atenção pelo comportamento da criança, então o que pode funcionar é ir explicando para a criança de forma simples e mais próxima de sua linguagem o que está acontecendo em cada parte da missa.

3 – O choro da criança não pode ser desculpa para não leva-la à missa

“Uma criança pequena chorando na Missa é um sinal de que a igreja continua viva e continua com a sua missão de evangelizar às nações”, assinalou o sacerdote em Idaho Falls (Estados Unidos), padre José Ramírez, que explicou que o choro não é desculpa para não levar as crianças à Missa. A forma como está estruturada a Missa “pode ser difícil para qualquer criança” indicou padre Ramírez “poderá levar tempo e dedicação aos pais e não será fácil, mas com uma disciplina de fé e um bom exemplo a lição será bem aprendida”.